:: Carta a uma mãe adotiva

2 abr

Por Amanda

Você chegou tímida, eu também. Nós nos cruzamos, nos olhamos, fomos indiferentes. Cada uma de nós estava invadindo, ultrapassando os limites da outra, mas não durou muito, eu tive que ceder. Tive que aprender a te conhecer, perguntar por aí o que achavam de você, se você já tinha magoado alguém, se você era do tipo que deixava todos de queixo caído, e no fim os desprezava. Ou se era do tipo que não ligava, que não estava nem aí para o poder e influência que tinha seu charme sobre os outros. Mas não. Aprendi aos poucos que você ia, um a um, acolhendo de forma tão especial, cada um com suas diferenças, suas crenças. Aprendi que você queria ser amada, descoberta e às vezes, por conta disso, fazia transparecer um lado que não era seu, que vinha à tona apenas para os que não sabiam do seu real valor, do seu imenso coração e gratidão. No início relutei para não enxergar o que la no fundo eu sempre soubera. O amor que cresceu dentro de mim em relação a você foi mais forte do que eu um dia imaginei que poderia sentir. O nosso encontro, o verdadeiro, foi muito especial. Foi quando um dia eu senti que poderia te perder. E doeu. Por um instante te vi longe, muito longe. Pude sentir a dor de não desfrutar mais de sua amizade, do seu afeto, da sua generosidade, da sua humildade e honestidade. Você me cativou me pegou pela mão e me levou com você. Me fez perceber e ver suas reais intenções. Você me fez entender, aprender e amar o mundo de outra forma, sob outro olhar, sob um novo ângulo. Você me ensinou coisas que nunca ninguém saberá me ensinar, só você. Você me fez pensar e repensar sobre os reais motivos da existência de nossas vidas, do amor que tenho e sinto pela minha família. Você me mostrou que a vida é extraordinária e que temos que estar perto das pessoas que nos amam e que amamos. Você reforçou a idéia que sempre em mim esteve presente da importância do nosso planeta, do cuidado que temos que ter com ele e com todos que nele vivem. Através de sua forma de ser e de agir, você me fez ser uma pessoa melhor. Eu devo isso a você. Minha querida Montreal, nada poderá substituir esses seis anos de minha vida em sua presença. Você me acolheu me adotou. Você me preparou para um novo mundo no qual eu serei uma boa mãe e melhor esposa, filha e amiga. Você me deu asas e eu preciso voar. Preciso dizer adeus. Se por um lado a despedida é triste, por outro fico feliz de saber que outros poderão e terão o prazer de desfrutar de sua companhia, de sua alegria. Mas não se preocupe, voltarei para te visitar, sentar no seu colo, matar as saudades e recordar como foi bom o tempo que vivemos juntas. Adeus.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s