:: Fábula: Os Deveres da Hospedagem

12 mar

Texto de Millôr Fernandes

Um moço bem moço mas já bem brasileiro soou um berrador na porta de um velho vizinho do Pantanal pra tomar umas e outras. O velho serviu uma cachaça, mas se lamentou: “Infelizmente não tenho nada pra fazer uns petiscos pra acompanhar essa bebidinha.” “Não seja por isso”, disse o moço, “abatemos meu cavalo.” “Que é isso?”, disse o velho. “Aqui ninguém pode viver sem montaria.” “Eu monto naquilo ali”, disse o moço apontando um franguinho no quintal. “Eu bem que lhe oferecia meu franguinho”, disse o velho entendendo, “mas não tenho com que fazer fogo.” Não seja por isso”, disse o moço tirando o casaco, “queimamos meu gibão de couro.” “E depois como é que você ia se proteger do vento?”. “Ora”, respondeu o moço, “eu uso os galhos daquela cerca ou queimo as traves de madeira do seu barraco.”

MORAL: VOCÊ TEM QUE LEVAR VANTAGEM EM TUDO.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s